Preparar para a vida ou para o vestibular?

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

ô perguntinha difícil...

Sinceramente sempre preferi a primeira opção, mas tenho visto que dá pra fazer as duas.

Uma de minhas principais bandeiras é a interdisciplinaridade, a religação de saberes que em suas origens não são distintos.


Inúmeras pesquisas em décadas de história recente da educação mostram que a interdisciplinaridade está no seio de uma formação que dê conta da extrema complexidade com a qual se dão as relações do homem com a sociedade e com o ambiente em que vive.

Com a compartimentação do conhecimento em disciplinas engessadas perdemos a noção real da inserção do homem no meio em que vive, e apenas a partir do resgate das inter-relações entre os diversos saberes e áreas poderemos acessar novamente a natureza de nossa identidade humana, com toda a sua inerente complexidade.

Contudo, todo sistema unificador e de eliminação de fronteiras demanda um conceito que incorpore esta unificação, assim sendo, deve-se buscar cada vez mais a articulação de todas as ciências, sejam humanas, sociais ou naturais, em torno de uma visão sistêmica e abrangente de ser humano.
                
Neste caminho, o vestibular vêm deixando gradualmente de ser um empecilho para dar lugar a um modelo de seleção que sustenta e incentiva tais premissas de articulação e religação dos saberes.


Temos um novo ENEM, profundamente interdiscliplinar e contextualizado. E agora, José?



Todo movimento de inverção e de troca de paradigmas abre ampla margem para o pensamento de vanguarda e para a ousadia, possibilitando profundas mudanças em nosso cotidiano. Assim o é com as revoluções científicas bem como com suas contrapartes sociais, e assim agora o será com a educação, numa oportunidade única para a construção de um novo modelo de prática pedagógica.

1 comentários:

Daniela disse...

É bem interessante, dará um maior incentivo para o estudo. Mas esta visão deveria estar sempre presente no estudante.
Quando estamos próximos do vestibular recorremos aos mais diversos modos de estudar, como cursinhos, aulas particulares, revisar os antigos cadernos. Mas, quando chega lá, nem é tão assustador ou difícil. Se preparar para ambos é assencial, preparar-se para a faculdade e depois dela, como para o vestibular, pois muitas vezes a maior "fera" é o curso, e não o vestibular.