Felicidade

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Felicidade...

Estava demorando pra eu começar a falar de algo viajante (mais do que o normal)

A maioria das pessoas sempre buscal algo que chamam de felicidade. Algo que parece ser maravilhoso, pois todos querem, mas algo que parece estranhamente utópico e subjetivo, pois poucos realmente admitem que a alcançaram.

Fico pensando nos meios pelos quais as pessoas buscam essa plenitude do ser feliz. Algumas dizem que fazem apenas aquilo que gostam, mas acho que isso é simplesmente não querer encarar os problemas. Algumas dizem que fazem apenas aquilo que lhes dá prazer, mas acho que isso é apenas hedonismo. Algumas dizem que buscam a felicidade naquilo que é pequeno e simples, mas acho que isso é apenas medo de pensar alto...

Não preciso dizer o quanto então sempre achei esta história uma grande baboseira, não deveríamos encontrar a felicidade, deveríamos buscar a felicidade, porque assim o próprio caminho nos conduziria ao destino...

Mas agora vejo que as coisas não funcionam exatamente assim, vejo que acho que encontrei o meu próprio jeito de perseguir esse tão esquivo sentimento. No final das contas acho que o que vale a pena mesmo é fazer as pessoas que amamos felizes, se elas estiverem bem, estaremos bem também, simples assim!

Não confundam isso com autruísmo, por favor! Eu disse fazer felizes aqueles que amamos! Não quero posar de bonzinho quando não sou.

É interessante que tenha sido necessária a entrada de uma certa pessoa na minha vida pra que eu entendesse isso...


Postado ao som de: "Man in The Box"-Alice in Chains (Porque nem só de Classic Rock viverá o homem, mas também de um pouquinho de grunge de vez em quando...)

Liberdade e Religião

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Liberdade... Palavrinha mágica esta.

Todos sabem o que é, mas ninguém consegue explicar.
Todos a desejam, mas não sabem muito bem onde buscá-la.

Talvez a liberdade seja aquilo que eu sempre tenha considerado como um direito intocável do ser humano, liberdade de agir (e arcar com as consequências), liberdade de se expressar, liberdade de amar, mas acima de tudo liberdade de pensar.

Penso que as coisas começam a caminhar para um rumo meio estranho quando nós mesmos começamos a moderar nossa liberdade de pensar, e talvez tenha sido este o início de minha pequena inimizade com dogmas religiosos.

Não tenho absolutamente nada contra qualquer religião, por favor não tomem o que estou escrevendo aqui como uma ofensa, todos somos livres para pensar como desejarmos e eu tenho muitos amigos muito religiosos e são pessoas que eu admiro muito.

Bom, ressalvas à parte, devo agora voltar ao assunto.

Não consigo entender como determinados grupos sociais conseguem se tornar círculos tão fechados a ponto de aqueles que estão de fora serem considerados indignos de "salvação", venha esta salvação de onde vier. Não entendo principalmente a parte em que este ou aquele deus não pode ajudar pessoas que pensam diferende desta ou daquela denominação religiosa.

Muitas coisas no pensamento religioso são difíceis de se entender, mas assim é a definição de fé: acreditar em algo sem que haja necessidade de provas.

Mas afinal de contas, porque será que muitos são os grupos intolerantes dentro das religiões? Falo de católicos, protestantes, muçulmanos, judeus e toda a sorte de grupos religiosos no mundo.

Penso que uma boa resposta para esta pergunta seja o fato de a religião lidar com algo extremamente delicado na mente humana: o inquestionável. Aquilo que temos como fé, devemos tê-lo de maneira irrefutável. Apenas o fato de questionar deus é considerado uma falha das mais graves. Se somarmos à esta inquestionabilidade das religiões entre seus praticantes a relativa arrogância que a maioria tem de se considerar a única detentora das verdades, temos aí um barril de pólvora muito perigoso para mentes que não tem um senso de liberdade muito aguçado.

Certa vez falei com minha mãe (que é católica fervorosa) que o maior dever de um cristão é questionar a deus, pois apenas assim ele conseguirá seguir o Cristo que vem do seu coração e não o que vem da Basílica de São Pedro. Nem preciso dizer o quanto ela ficou revoltada com minhas palavras...

Ser membro de uma religião não é algo ruim, por favor não me interpretem mal, mas devemos ter a noção de que estamos perdendo boa parte de nossa liberdade de pensamento e nos tornando propensos a acreditar que temos alguma vantagem sobre os outros.

Desculpem o post longo demais, é que o assunto é polêmico ;)


Já ia me esquecendo: Postado ao som de "The Spirit Carries On"-Dream Theater

Amigos invisíveis

sábado, 10 de janeiro de 2009

Tem sido muito gratificante escrever O Metafísico.

Quando eu comecei a escrevê-lo, era mais como um desabafo para o nada, nunca pensei que alguém fosse ler o que escrevo, mas um belo dia eu descubro algo novo: um comentário! Nem posso expressar como fiquei feliz com isso, alguém estava lendo o que escrevi!

Desde então tenho postado cada vez mais (apensar de ainda postar esporadicamente) e a cada vez que vejo que alguém leu o que escrevi, sinto como se pudesse ser ouvido mesmo à distância, e para alguém como eu que gosta desesperadamente de falar isso é muito legal!

Por isto este post é uma singela homenagem aos meus amigos invisíveis, alguns tem rosto, alguns não, alguns eu conheço pessoalmente, outros não... Mas todos são importantes, porque compartilham seus pensamentos e não se importam em ouvir os pensamentos dos outros.

Aí vai uma seleta lista daqueles que eu recomendo (se é que me a dada a autonomia para recomendar alguma coisa... rsrsrs):

Toca da Leoa

Manual Básico do Solterio Imprestável
Salut

Aos amigos invisíveis: Conheçam estes aí em cima, vale a pena.

Ha! Mais uma novidade, sempre escrevo ouvindo música, a partir de agora vou dizer o que estava ouvindo ao fim do post.

Postado ao som de "Say it's not true" - Queen

Livros na estante...

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Recentemente terminei de ler um livro...

E com isto várias coisas vieram à minha cabeça.

Pensem em quanto tempo algiém é capaz de desprender de sua vida para escrever um livro, o como cada página tem o suor de alguém que muitas vezes deixou de dormir ou mesmo de ficar com sua família para compartilhar conosco um pouco de suas idéias!

Como é bom saber que ainda existem pessoas assim! Num mundo onde as pessoas sequer param para ler de ver enquando, saber que ainda existem péssoas que escrevem é um alívio.

Agora pensem em outra coisa: os livros que você tem na estante.

Aqueles que você nunca leu ou mesmo aqueles que não saem do lugar a anos.

É justo com alguém que dedicou meses da sua vida preparando-o que você o condene ao isolamento por tanto tempo?

Empreste seus livros! Essa é a única forma de manter viva esta chama de cultura em nossa tão fragilizada sociedade.

Faça com que outros também possam lê-los, não por caridade, mas simplesmente para que o livro possa cumprir seu papel.

Aí você me diz: mas meus livros vão ficar velhos e gastos!
E eu respondo: Dane-se! Em breve você também vai estar velho e gasto! Pelo menos na minha simples opinião, meus livros mais belos são aqueles que quase nunca param na minha casa, que vão passando de mão em mão até o ponto de eu não saber mais com quem está! Mas mesmo sem saber pra quem eu emprestei, eles sempre voltam, raras foram as vezes em que perdi um livro (só me lembro de uma), então também não tem a desculpa de que não vão devolver: vão devolver sim.

Livros foram feitos para serem lidos e não para acumularem poeira!


PS: Aos curiosos o livro que acabo de ler: Farenheit 451 (Ray Bradbury).

Ano Novo!

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009



Ano Novo, vida nova! Pelo menos é o que dizem...

Bom, desta vez serei obrigado a discordar com a sabedoria popular.

Este momento é interessante, porque paramos e repensamos o ano que passou... O que fizemos... O que deixamos de fazer... nossos sucessos... nossos fracassos... enfim, tudo o que realmente importou no ano que acaba de passar.

Parem e pensem: O que vocês fizeram de bom em 2008? Mudaram para melhor? Fizeram alguém feliz? Sorriram ou choraram? ou choraram de tanto rir? ou riram de tanto chorar?

Refletindo sobre meu ano de 2008 pela primeira vez em muito tempo chego à conclusão de que não quero uma vida nova muito diferente, o ano que passou foi explêndido, tanto pessoal quanto profissionalmente, e neste início de ano quero apenas que 2009 as coisas continuem andando bem...

Que 2009 seja bom apra todos vocês, e que acima de tudo que reine o amor. Com ele a paz, a alegria, a felicidade, a satisfação e tudo mais vem junto... não precisamos desejar muito, desejamos apenas o amor e tudo mais virá como consequência.

Não tentemos ser felizes, tentemos fazer aqueles que amamos felizes, porque com certeza se eles estiverem bem nós também estaremos.

Feliz 2009 a todos!!!!