Sobre a Ciência e a Religião

sábado, 2 de maio de 2009

Dizem por aí que religião não se discute...

Grande besteira! Não se deve discutir apenas coisas que não podem ser questionadas, e questionar tudo e todos é talvez a única forma de exercermos plenamente nosso livre arbítrio.

Me recordo nestes momentos que uma coisa que sempre me impressionou muito foi o debate sempre muito ferrenho entre ciência e religião.

De um lado cientistas sobem do alto de sua arrogância intelectual e olham com desprezo os seres crédulos que na manhã de domingo rumam à igreja. De suas universidades, dizem que não é necessário que haja um deus para que o universo seja do jeito que é.

Do outro lado, pastores e padres sobem em seus púlpitos para discursar sobre o como a ciência é perigosa, o como "quanto mais alguém estuda, mas se torna ateu". Dizem o como a ciência anda corrompendo a obra do todo-poderoso, clonando seres vivos, criando os transgênicos, detonando bombas atômicas... Já cheguei até a ouvir que o homem ter ido à Lua foi uma "heresia", porque "se Deus colocou ela fora do alcance, era pra ela ficar fora do alcance".

Não vou com este post simples esgotar o assunto, isso seria impossível, mas vou acrescentar a esta discussão alguns pontos.

Primeiramente, essas duas visões que eu expus acima (de propósito), são falácias. Poucos são os cientistas que eu conheço que são realmente ateus, e menos ainda são aqueles que atacam a religião, pra falar a verdade em toda a minha vida só conheci dois: Um professor de Biologia no pré-vestubular e um professor de Evolução da Física na universidade (eu não conto, eu ataco apenas a parte de não poder questionar... rsrsr).

Poucos também são os religiosos que se mantém tão fechados para a ciência.

Penso que mais uma fez é tudo questão de uma diferença de pontos de vista.

A ciência está preocupada com a origem do universo, a religião também.
A religião está preocupada com a cura dos enfermos, a ciência também.
A ciência está preocupada com a origem do homem, a religião também.

São muitos os assuntos em comum, e cada vez se torna mais óbivo que as duas não se contradizem entre si: elas apenas são formas diferentes de manifestar os mesmos desejo, o desejo por respostas às perguntas mais fundamentais.

São duas faces do comportamento humano, e uma não está acima da outra: não podem ser comparadas por serem de categorias diferentes.

Aí talvez se encontre nosso maior erro: tentar misturar as duas coisas. No meu post sobre a existência de deus, eu não quis misturar as visões, apenas as coloquei para dialogar, evidenciando como elas interagem de maneira íntima em certos assuntos.

Para finalizar, gostaria de fazer uma citação de Galileu. Nessa carta a uma duquesa, o italiano ataca os censores religiosos, mas uma recíproca à ciência seria igualmente adequada:

"É indiscutível que a teologia lida com assuntos da natureza divina e que, portanto, ocupa uma posição régia entre as ciências. Mas, ao adquiri desta maneira a mais alta autoridade, se ela não descer de vez em quando ao nível mundano das outras ciências, e se não mostrar nenhum interesse nesses assuntos por eles não serem sacros o suficiente, então seus professores não devem arrogantemente assumir a autoridade de decidir controvérsias pertinentes a profissões que eles não estudaram nem praticaram."

Comentem!!!

(tomara que o anônimo não tenha sumido...)

P.S.: Gostaria de agradecer muito à Lioness pelo novo selo, e dizer que eu não esqueci dele não, eu estou pensando num bom post sobre a questão do Homo Sapiens ; ), o tempo tem diminuido bastante, mas vou postar assim que conseguir!

Postado ao som de "While my guitar gently weeps" - Beatles

0 comentários: