Uma ruiva de vestido em minha vida

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Vamos lá, hoje não é sábado e nem estou bêbado, mas vou contar uma história...

Ou melhor, vou levar vocês pra dentro de uma, porque é muito mais divertido...

Tudo começa com uma bebedeira, e você enche a cara pra comemorar algo com seus amigos. Enche a cara porque apesar de ter responsabilidade, você sabe que é bem legal enfiar o pé na jaca de vez em quando...

Bom, você vai pra casa bastante torto e começa a se lembrar de todas as mega viagens que já vez até hoje...

Você com certeza já se sentiu como Dante, tendo que vagar sem rumo e sem destino em meio a uma selva selvagem, na esperança de ser guiado por Beatriz para o paraíso... Mas não teve saco pra esperar por Beatriz e acabou ficando só na selva selvagem mesmo... Até que chega um amigo! Virgílio, o nome dele, não?

Então você despede-se da selva tentando encontrar uma verdade, algo que seja verdadeiro e final.

Por alguns instantes acha que a felicidade vai estar na verdade, mas na verdade a verdade foge de você...

Quem sabe a busca por um sentido da vida! Um grande e sonoro amor por viver bem a vida... por estar de repente cheio de vida mais uma vez!

Sim, pode ser isso!

É claro, dessa vez não vai ter erro!

Mas daí você também lembra que sempre há um erro espreitando atrás da moita mais próxima, pronto pra pular na sua frente e dizer: "Haha! Peguei você"

E o erro te pegou mesmo... O que foi o erro? Abandonar a busca pela verdade? Abandonar o passeio pela selva? Bom, talvez o erro tenha sido mesmo entrar naquela selva pela primeira vez e começar essa história.

"Que merda!" Você pensa. "Nesse maldito calor quem foi que colocou o chuveiro no quente?" E essa sutil dstração momentaneamente o tira de um flashback que já estava ficando.

Uma música flutua pela sua cabeça enquanto letrinhas coloridas giram em volta do chuveiro dançando no ritmo...

"Hay una mujer hermosa, la mas primorosa de ojitos negros y piél gitana...
És, és una hechicera, que domina al hombre con sus danzares con las caderas..."

Sim... uma feiticeira... quem sabe seja essa a resposta!

Procurar uma feiticeira!

Então uma coisa vem à sua cabeça... "As feiticeiras mais poderosas sempre são as ruivas"

O problema é onde achar uma feiticeira ruiva a essa hora da noite... E o pior: Você nem está na Irlanda!

Sabe uma característica irritante no universo? Ele adora coisas improváveis!

E quando ele vê você bebado, ali debaixo do chuveiro cantando Maná, não resiste e diz (na medida em que é possível um universo dizer algo): "hauhau! Você quer uma feiticeira ruiva? então vai encontrar uma hoje ainda... Mas tá perdido!"

Você toma um susto de repente!

Uma risada! Maldito rum!

Decidido a não pensar naquela risada, agarra-se em uma garrafa de vinho e parte pra rua de novo...

E não é que conhece a tal da ruiva!

Mais uma vez você constata: é sempre bom ter cuidado com as ruivas... Especialmente as ruivas de verstido...

Malditos descendentes dos príncipes de Atlântida! O que vocês querem entrando na vida das pessoas desse jeito?

Quero morrer amigo de vocês...

E a música volta a tocar na sua cabeça:

"Ven, déjame estrecharte, deja desnudarte bajo la luna poquito a poco.
Es, es una hechicera, que domina al hombre con sus danzares con las caderas..."



post sugerido pela Nina.


Postado ao som de "Hechicera" - Maná.

0 comentários: