Elevar-se...

domingo, 17 de janeiro de 2010

Hoje estive ouvindo por tabela uma rádio religiosa...

Eu estava voltado pra casa depois de uma prova de concurso e uma coisa muito me chamou a atenção, algo que eu já tinha ouvido várias vezes mas nunca tinha reparado.

O uso da expressão "elevar-se em oração".

Comecei então a refletir sobre vários aspectos desta expressão. Por favor, não estou julgando nada nem ninguém, quero apenas oferecer um ponto de vista pouco ortodoxo nesta interpretação.

Elevar-se, por definição, é o ato de erguer-se, ter sua altura aumentada.

A princípio buscamos com isso atingir pontos mais altos, como por exemplo, um estado de comunhão com deus (seja quem for que você chame de deus, repare que isso não depende de religião).

Entretanto, se analisarmos de uma maneira mais profunda, vemos que a altura na qual alguém se encontra é uma medida mais exata quando comparada com sua distância do nível do solo.

Desta maneira, elevar-se é distanciar-se do mundo e desta forma ficar mais longe de nossa natureza mortal e pecadora.

Contudo creio que pagamos um preço alto demais por isso: ao distanciarmo-nos do mundo, acabamos por nos distanciar também de nossos semelhantes.

Olhem em volta e vejam se não é verdade: o momento mais profundo de nossas orações geralmente é um momento solitário.

Vale a pena deixarmos nossos irmãos de lado para sevir a Deus pura e simplesmente? Ou podemos melhor servir a Deus se ao invés de nos "elevarmos" a ele nos mantivermos no nível do mundo e de nossos semelhantes?

Deus não precisa de nós, não precisa de nossa veneração, de nossa adoração. Ele está bem, por definição ele está bem.

Mas nossos irmãos não estão!! Eles sofrem, eles padecem, eles choram. Melhor dizendo: Nós sofremos, nós padecemos, nós choramos.

Se é assim, porque esquecer do mundo para se dedicar a Deus? Porque precisamos tanto enxergar um Deus fora do ser humano?



Postado ao som de "Warboys" - Queen+Paul Rodgers

2 comentários:

Ansan disse...

Nossa. Formar deixou você zem.
Sempre me pergunto sobre o que é a vida, ou melhor para que a vida. Quando eu tiver a resposta eu te passo. rsrsrs

Daniela disse...

Eu simplismente adorei este post. Pois esclarece muitos pontos. A religião é formada por homens, para homens 'conformarem-se' e aconchegarem suas almas, terem como um tipo de lugar para deixar suas preocupações e fantasiar sobre... Mas algumas pessoas vão longe demais, privando até outras pessoas por causa disto, o que acaba distânciando mesmo as pessoas. Algumas pessoas não conseguem ver que o verdadeiro amor que é "recíproco" está ali, ao seu lado, seja com amigos, parentes, ser humano, que pode lhe responder, lhe aconselhar. E, ao invés disto, correm para um fantasioso.
Mas, como diz Nietzsche.
"Não há no mundo amor e bondade bastantes para que ainda possamos dá-los a seres imaginários."
Religião é importante de certa forma para o mundo, mas não dar o seu tempo, sua vida e todo seu amor, fechar-se completamente para o mundo e não querer ver a realidade.