Algumas doses de Red Label porque estou precisando..

domingo, 30 de janeiro de 2011

Uau...

Depois de tanto tempo, o post nada sóbrio de sábado...

Fico pensando no tempo que eu passei sem escrever e em como resumi-lo para vocês... quem sabe fazer como da última vez! Uma música!

Ou um vídeo!!



E fica uma perguntinha para aqueles que me acompanham por aqui, sejam anônimos ou não.

Quem é você neste vídeo?

Neste exato momento, que papel você desempenha?

Talvez seja complicado demais pensar nessas coisas, mas vamos conduzir um pouco as coisas...

Era uma vez uma moça.

Uma moça linda, diga-se de passagem. Inteligente, cativante... Daquele tipo que ninguém consegue ficar indiferente quando ela está por perto.

Olhos inesquecíveis, voz terna e, acima de tudo, uma personalidade forte e que chega mesmo a desagradar a alguns.

Essa moça está bem ao seu lado agora... Quem é ela? Não sei...

Você olha espantado e de repente surpreende um soluço... ela chora!

Se houvera um dia a possibilidade de um pecado divino, este foi o de deixar tal anjo sofrer... Sofrer as dores de uma vida que quer viver, mas que não se sente corajosa o suficiente para assumir...

Sofrer as dores de um amor que sente se esvair por entre os dedos... Como a brisa no fim da tarde... Como os últimos e bem avermelhados raios de sol a despencar do horizonte limpo...

E ela te olha com um olhar interrogativo... "Eu estou perdendo o amor da minha vida" - Ela te diz entre soluços disfarçados - "Porque não posso simplesmente largar o que há de errado no passado e seguir em frente em busca de algo mais puro?"

Você não tem uma resposta para ela... Sua beleza o toca tão profundamente que já não é mais possível distinguir a sutileza dos finos traços da donzela dos bruscos arremetes de tristeza em sua tez.

Mas ela se mantém firme. Sabe que se ela vacilar tudo se perde...

E você começa a perceber o quanto podem ser valiosos os momentos em que é possível decidir sobre algo...

E começa a se ver preso com a mente no passado e a esperança no futuro sem querer, contudo, verificar se o presente é capaz de lhe oferecer alguma oportunidade aprazível de vida...

E no fim das contas você já não vê mais a linda jovem ao seu lado...

Por um instante fantasmagórico a face da moça se transfigura na sua...

Com uma diferença agora...

A lágrima continua presente...

E você vê a sua face a chorar mais uma vez no lugar da jovem...

Com um gesto instintivo você busca secar seu próprio rosto...

E de repente se depara com um lágrima na sua própria face...

Uma lágrima que não é exatamente de dor

Que não é exatamente de perda

Uma lágrima que é simplesmente um amor que não será vivido...



Postado ao som de "Just Fell Better" - Aerosmith & Santana

2 comentários:

Daniela disse...

Tocante... Muito tocante. É triste sonhar com um amor que não pode ser vivido. Pior é continuar a amar e se conformar em apenas sonhar.

Pedro Araujo disse...

Nossa, sem palavras para descrever a sensação que o texto me causou, algo nostalgico, me identifiquei bastante com ele.
à propósito, no vídeo eu sou rapaz... :/